Entropia Coletiva: A primeira plataforma de crowdfunding científico do Brasil

A bióloga brasileira Marcela Uliano queria entender melhor a biologia do Mexilhão Dourado - espécie invasora, que ameaça a biodiversidade da Amazônia. Marcela estruturou seu projeto para que ele fosse financiado pelo financiamento coletivo. Ela usou uma plataforma de crowdfunding para apresentar a pesquisa, objetivos e o valor para sua realização. Algo que chamou atenção do público, era que com uma contribuição pequena, como 20 reais, já era possível adquirir uma recompensa. No caso, colocar seu nome em uma proteína estrutural do Mexilhão. Ao final da campanha, ela arrecadou aproximadamente R$ 40 mil para realização do projeto. 

Além dela, outro exemplo foi o crowdfunding organizado pela ex-professora da UFRJ, Suzana Herculano, que conseguiu arrecadar em 2015, mais de 110 mil reais para manter seu laboratório funcionando com a crise de financiamento público.



Esses exemplos refletem uma tendência mundial. Em outros países, o crowdfunding também já é uma febre. Projetos científicos podem ser financiados por dinheiro de interessados. E no meio disso, existem sites dedicados apenas para o financiamento de projetos científicos, como o Experiment. A Lifespan.io, por exemplo, é uma plataforma de crowdfunding apenas para projetos na área da biologia do envelhecimento. No Brasil, essa lacuna ainda não havia sido preenchida, não havia uma plataforma focada em financiar projetos científicos por crowdfunding. Até agora.

Recentemente, surgiu o projeto intitulado Entropia Coletiva, fundada por três jovens cientistas brasileiros. Essa é a primeira plataforma brasileira de crowdfunding científico. Em breve, será possível que pesquisadores estruturem e lancem suas campanhas de financiamento coletivo. Interessados e amantes da ciência poderão analisar e financiar projetos - recebendo recompensas por isso. Se a campanha alcançar a meta estipulada, 13% do valor total arrecadado é transferido para a empresa e o resto vai para o pesquisador. Por fim, é comum que os contribuidores recebam em primeira mão o andamento e avanços do projeto - um baita estímulo para os curiosos!

E, como aumentar suas chances de ter seu projeto financiado? Um estudo publicado esse ano, analisou dados de mais de 300 projetos de crowdfunding científicos, e descobriu que projetos têm bem maiores chances de ser financiados se incluírem vídeos, animações com um toque de humor. Por fim, eles viram que propostas depositas em plataformas voltadas para ciência têm taxas de sucesso bem melhoers do que projetos científicos que foram apresentados em plataformas gerais de crowdfunding, como o Kickstarter

Leia mais:

1 comentários:

  1. Era isso que estava faltando no Brasil. Vou colaborar na medida do possível

    ResponderExcluir

 
biz.